segunda-feira, setembro 10, 2007

Gerês Parte II - A Ciência

Isto de ir para o Gerês e ficar a dormir até ao meio dia enquanto outros estão (semi-)acordados e a laborar desde o nascer do Sol, é só mesmo para alguns. Mas na verdade não me queixo, toda a gente sabe ao que vai e gosta do que faz. Para além do enorme prazer que é o convívio, a galhofa e o contacto directo com a Natureza (neste caso em particular as Aves), é produzido e divulgado conhecimento científico a alta velocidade; a troca de ideias e conhecimento entre pessoas ocorre a velocidade estonteante; são debatidas hipóteses e teorias de migrações, identificações, biologia, ecologia; volto sempre com a cabeça a fervilhar de ideias destes encontros.
Apesar da biodiversidade brutal circundante, as Aves são mesmo as rainhas da festa, por isso, eis as jóias da coroa desta semana (pelo menos para mim, aceitam-se outras opiniões):

Accipiter nisus, fêmea adulta, residente

Phylloscopus bonelli, migrador

Locustella naevia, juvenil, migrador

Mas houve muitos, muitos mais. Com penas, com escamas, com pelos, rastejantes, nadadores, voadores, com e sem coluna vertebral, animais ou vegetais, cuja descrição não cabia em todo o ciberespaço.

2 comentários:

vanvan disse...

É bom estar incluida nos "outros estão (semi-)acordados e a laborar desde o nascer do Sol", principalmente quando isso significa ter dormido 3 horas depois de ter visto uma alcateia... aí é que já nem o sono importa... podia até nem ter dormido! Foi espectacular! Tive mesmo pena de não estares lá nessa noite...

Fuzhong! disse...

És cá da irmandade da Esteva!