terça-feira, março 22, 2011

A mala do carro é o espelho da alma

Hoje, quando tirava sacas de mercearias da mala do carro para atestar o frigorífico e despensa da minha mansão (confesso que um dos prazeres alarves da vida é encher as prateleiras com comida), reparei como a mala da minha viatura é algo de surreal, tipo twilight-zone. Senão, vejam as coisas estranhas que por lá andam aos trambolhões:
  • Obviamente, o macaco, triângulo e essas cenas que habitam em todos os carros;
  • Uma toalha de praia e um fato de banho;
  • Algumas caixas de ferramentas com utensílios das lides profissionais;
  • Resmas de folhas e umas quantas pastas com mais folhas;
  • Um frasco com lombrigas de um pombo;
  • Um frasco com cocó de okapi;
  • Uma pele de cobra;
  • Um saco com facturas de gasóleo;
  • meia dúzia de garrafas de água vazias (para deixar no ecoponto, pois claro).

Se algum larápio me abrir a mala e se deparar com este pequeno e peculiar microcosmo com que ideia ficará da minha pessoa? Espero que bastante má, que deixe ficar tudo no sítio com medo que lhe lance uma macumba qualquer (estás a ver, pele de cobra?).

2 comentários:

S. C. disse...

Hmm, faz-me lembrar o meu carro. Excepto que por ser comercial é isso elevado à enésima potência!

Rita disse...

Pele de snake? Sério? As minhas coisinhas nunca irão tocar em qualquer superfície da tua bagageira.