segunda-feira, dezembro 18, 2006

Sunday on Speed

É incrível a quantidade de coisas que se podem fazer num único dia, havendo tempo e vontade... e não estou a falar de trabalho (isso é outra história). Este Domingo que passou consegui juntar n vertentes da minha vida, apesar de ser difícil acompanhar todas estas marcações:
9h30 às 13h00: Manhã de birdwatching no Estuário do Tejo. Não marquei cruzinhas novas no guia de campo, mas é sempre bom rever espécies como a águia-pesqueira (Pandion haliaetus) e bandos de 50 íbis-negros (Plegadis falcinellus). A manhã estava soalheira mas gelada e foi a custo que se manteve os bnóculos empoleirados nos narizes. Parece-me que conseguimos converter mais 3 almas à seita (conhecida por alguns como a irmandade da esteva).
14h30 às 16h30: Após voltar a Lisboa a voar para comprar uma prenda, teleportei-me para a Ericeira para um almoço de aniversário/Natal com o pessoal scalabitano. Após fazer uma finta a alguns lugares menos desejados (eu e 99% dos convivas), foi encher a pança de marisco. A "Marisqueira de Ribamar" proporciona óptimos pratos de frutos do mar, como o belo creme de marisco com nacos gigantes de crustáceos e pão firto e panelões de arroz de marisco, verdadeiros festins de sapateira, gambas e afins. Realmente, ao fim de 4 patos e após reconstruir o exosqueleto (agora vazio) de uma sapateira começa-se a ficar um pouco cheio...
17h30 às 18h00: Nova viagem a Lisboa, desta vez para visitar um familiar em convalescença. Como a recuperação parece de feição, sigo para mais uma voltinha...
18h30 às 21h30: Lanche de Natal + troca de prendas + apresentação do mais novo rebento ao mundo. É difícil não estabelecer analogias com esta ocasião com o quadro natalício da adoração dos reis magos. Sou ateu convicto, mas até agora, foi o único momento de espírito natalício que me atravessou. Claro que os reis (e rainhas) estavam tudo menos magros e a única magia que fizeram foi fazer desaparecer pratos de pão, enchidos e bolos.
22h00 às 24h00: Café em Oeiras, onde fui presenteado com uma obra literária da qual fui participante. Café simpático, apesar das portas traiçoeiras e do cheiro a queijo requentado (felizmente não foi nos Gémeos do inferno)
Pode-se dizer que foi um dia extremamente bem preenchido mas das 2, uma: ou realmente começo a dedicar-me ao teletransporte ou aprendo as artes de manipular o tempo, pois devo ter passado perto de 4 horas dentro do carro de um lado para o outro! Mas não me estou a queixar...

1 comentário:

pedro disse...
Este comentário foi removido pelo autor.