sexta-feira, janeiro 23, 2009

Aleluia!

Podem fazer soar as trombetas e entoar hinos de alegria pois ao fim de exactamente 21 longos e penosos dias, recuperei o meu QI - não exactamente esse em que estão a pensar, pois apesar do meu extraordinariamente elevado e brilhante Quociente de Inteligência, é certo e sabido que os neurónios vão sumindo a cada dia que passa.
Falo do meu carro, finalmente retornado da oficina, sobrevivente a semanas de burocracia e peritagens e centenas (vá, dezenas) de minutos ao telefone para a seguradora, queixando, rogando, ameaçando, para que o processo de reparação fosse mais célere.
Após ter-me finalmente livrado do carro de gaja telecomandado com que andei nas últimas semanas (quando pensarem em mudar de carro evitem o C1), pude finalmente reencontrar o meu velho amigo - e, sim, eu SEI que nós, homens, temos por vezes relações um pouco patológicas com os veículos motorizados.
Após matar saudades, enquanto carregava em todos os botões e acariciava ternamente o volante, achei que a melhor maneira de celebrar a saúde automóvel era rumar ao Sul, para um fim de semana de desenhos, natureza e gastronomia. Por isso, de regresso a Mértola!

1 comentário:

pqt disse...

Compreendo-te perfeitamente. Só Deus sabe o que sofro quando vejo a Isabel, a deixar estacionado o carro dela em frente a casa e abre o portão da garagem para conduzir antes o meu.
Eu tirava-lhe as chaves da garagem, mas está lá a máquina de lavar roupa.