quarta-feira, janeiro 03, 2007

Instantâneos da passagem de ano

A meia noite de dia 31 de Dezembro é só uma desculpa para uns dias antes e depois se poder combinar um programa com amigos e este ano não foi excepção. Mantendo a tradição há algum tempo para cá de os reveillon serem passados numa área protegida, rumamos para o Parque Natural da Serra da Arrábida no passado dia 30. Seguem-se então os momentos mais marcantes dos vários dias de festa:
dia 29: jantar de sócios (fixes, claro) na casa da Peninha. Se o caminho já era assustador, nessa noite estava completamente blairwitchiano, com paredes de nevoeiro. As únicas vítimas foram multidões de Salamandra salamandra gallaica que foram posteriormente raspadas com uma espátula dos pneus. Chegámos à conclusão que é difícil cozinhar sem fósforos. Momento de paragem cardíaca (viajava no quase lugar do morto) quando vi o carro ir em frente e a estrada para a direita. Medo, muito medo.
As toneladas de comida. Arroz de marisco. Patés. Picanha. Carbonara. Doces. Queijo da serra. Tostas mistas. Tudo excelente. A única dúvida foi o estranho sabor salmonélico da carbonara. Mas como as natas eram de soja, achámos que era normal e como lindos meninos que somos, comemos tudo.
Os litros de álcool. Assustador. Estarei a ficar imune aos efeitos etílicos? Transformados em esponjas humanas, bebemos. Bebemos. Bebemos. Caipirinha ao jarro. Sangria ao alguidar. Shots (fase de decadência) de vodka com laranja, limão, martini e baba de camelo. Tudo normal. No dia seguinte, onde está a ressaca???
As palermices dos costume. Luta de limas. Colheres voadoras. Guerra de shots de champanhe. A bela da lingerie como prenda de aniversário. Uvas com pimenta. Caipirinha com pimenta. Muito "na na na", "la la la" e "tri tri tri". Só não nos deixaram disparar rolhas de champanhe a arder...
De resto, a festa. O convívio. Os amigos. O tempo bem passado. Estou a esquecer-me de alguma coisa?

5 comentários:

Hugo disse...

Pois foram uns excelentes dias!

Realmente foi pena não nos deixarem disparar sem querer as rolhas a arder!...

Mas em compensação ajudámos os nossos amigos a patinar. E arranjámos maneiras novas de jogar... incluindo emissão subtil de pistas entre colegas de equipa!

Abraço e bom 2007!

Fuzhong! disse...

Pareceu-me que a emissão de pistas foi tudo menos subtil... mas tudo pela batotice!

Anónimo disse...

Bolas! Estou a ver que vocês ficaram mesmo a querer ver o efeito do disparo de rolhas flamejantes! temos de combinar uma jantarada acompanhada de "champagne" e de umas estrelinhas flamejantes... de preferencia onde não haja vizinhos nas varandas inferiores que possam ficar a cheirar a porco chamuscado! Pintinhas da irmandade do juke box ;) ps ainda não consegui ouvir aquela tão famosa música "aireal sochial"! hehe

Fuzhong! disse...

Vou-me lembrar dessas palavras, pintinhas... depois não te espantes se num qualquer futuro jantar vires estrelinhas flamejantes.
Curioso, também ainda não encontrei essa música ;)

jp disse...

É uma música rara, muito rara :P
E essa história de batotice... um tipo ja não pode pedir um smi(th)nt????