terça-feira, janeiro 09, 2007

Resoluções de Ano Novo

Os primeiros dias do ano não foram dos melhores, passados a curar uma gripalhada e parcialmente a trabalhar. Entre espirros, tosses e anti-inflamatórios lembrei-me desse odioso tema que são as resoluções de ano novo. Era só passar os olhos pela blogosfera e pela atmosfera planetária em geral para constatar que o acto de mudar um número no calendário leva as pessoas a pensar em fazer palermices. Quantos terão decidido começar a fazer dieta ou a ir ao ginásio queimar as banhas para quando chegarem a Março estarem a tentar esquecer estas decisões à força de ovos de chocolate? Quantos terão decidido serem mais pontuais/generosos/organizados/bonzinhos/mauzinhos/cortar o cabelo/viajar/ir à lua/etc. para passadas umas semanas terem esquecido por completo estas resoluções ou sentirem-se frustrados por não conseguirem alcançar metas ilusórias?
Confesso que eu não escapei ileso (deve ter sido por causa do vírus da gripe) e não pude deixar de pensar nestas coisas. E como sou lambão, pensei logo numa lista de coisas a fazer. Por isso, e a jeito de promessa pública, aqui ficam escarrapachadas as Minhas Resoluções de Ano Novo.
Aconselho só a, por volta de Março, não me virem melgar com perguntas "Ah e tal, já fizeste aquilo ou aqueloutro?..."
#1: Procurar estabilidade profissional/financeira. O que passa necessariamente por levar certas corujas a fazerem vôos mais altos... independentemente desses vôos tentar fazer o que gosto dentro dessas áreas de trabalho (ver e tratar de pitos e lagartixas).
#2: Viajar. Dentro e fora de Portugal. Conhecer novas paragens e rever sítios conhecidos. Se possível, sempre na companhia das pessoas que gosto. Senão, viajar sozinho também já não me apoquenta tanto como há uns anos atrás. Bem vistas as coisas, algumas viajens feitas só com a minha pessoa como companhia foram marcantes pela positiva. Este ponto depende directamente do anterior, pois... haja dinheiro! Outra desculpa para viajar é a da formação profissional. A oferta de cursos e estágios é vasta e, até agora, já surgiu o convite de revisitar os states.
#3: Desenhar. Muito. Peixes. Rebenta-camas. Super-heróis. Rabiscos. Para isso ia precisar de tempo (novamente a necessidade do dia de 48 horas) e de auto-financiamento. Pois, porque o papel e os pinceis não nascem nas árvore!
#4: Não fazer dieta. Porque é que me devo constrangir de fazer uma coisa que me dá prazer, como comer? Para mais, todas estas incursões gastronómicas são sempre na companhia de amigos e sempre uma boa desculpa para conviver. Que se lixe! Já sei que vou pagar a factura mais tarde; quando for velhinho já sei que vou ter algumas articulações roídas pelo ácido úrico mas que a articulação do maxilar vai funcionar na perfeição de tanto rir à custa destes momentos. De resto, espero que nessa altura a engenharia genética já nos permita clonar fígados em série. Nunca se sabe... Mas pronto, ainda posso pensar em voltar a nadar ou qualquer coisa que não me dê muito trabalho.
#5: Música. 2006 foi muito pobre em termos musicais: pouca música ouvida, ainda menos tocada e apenas um ou outro concerto. Espero inverter esta escala musical e que ao longo do ano vá subindo de tom.
#6: podia dizer daquelas coisas "que acabe a fome no mundo", "que acabe a desflorestação" ou "desejo a paz mundial", mas isto não é nenhum concurso de misses e sei que a maioria destas coisas transcendem-me completamente. Espero contudo aplicar aquele conceito, think globally- act locally. Assim, seria mais correcto dizer: "que haja sempre muitos almoços e jantares com amigos, por tudo ou por nada", "que o grão de areia, que é o meu trabalho, possa ajudar a preservar o ambiente que me rodeia" ou "que haja, na medida do possível, paz entre as pessoas de que gosto". Aceitam-se todas as participações para me ajudar a cumprir o tópico #6.

4 comentários:

Caracol disse...

Achas positivo continuares a planear assim tudo na tua vida?! ;)

Beijinho

Fuzhong! disse...

Acho, porque não consigo pensar em planos mais vagos que estes... portanto, acho que na verdade não estou a planear nada. no fundo, resume-se a manter coisas boas e eliminar coisas más. Simples, não?
Ou vais dizer-me que não fazes planos nenhuns? Deixa de ler sobre a teoria do caos e efeito borboleta.

E Vila, muito ou pouca? :)

Bjs

Caracol disse...

Eu estava a brincar ctg, pá!!!
Embora me tenhas convencido com a resposta...

Fica bem

Fuzhong! disse...

Eu sei que brincavas mas... foi mesmo uma boa resposta, não foi? ;)