sexta-feira, maio 16, 2008

Pânico de última hora

Provavelmente, não é surpresa para algumas pessoas que às vezes faço uma gestão criativa do tempo (leia-se, deixar tudo para última da hora) e que trabalho melhor sob pressão (leia-se, o pânico dos prazos a caírem estimula-me a escrita). Também tenho ideia que já devo ter escrito uma meia dúzia de posts sobre este tema e que o mais certo é que, enquanto durar este blog, devo abordá-lo mais umas quantas vezes.
Entre terminar a minha primeira comunicação congresseira internacional, terminar a formação para um curso que vou dar este fim de semana - faço aqui um aparte para alguns interessados para dizer que está tudo sob controle - e escrever a m***a da fita para a minha irmã, passei o dia a auto-flagelar-me mentalmente para não repetir a proeza.
Também não ajuda nada quando uma encomenda que era suposta chegar hoje ainda estava no armazém. E se não me tivesse lembrado de ligar e cuspir bolas de fogo ao telefone com a senhora telefonista ainda para a semana estava à espera. Mas tudo se resolve, ainda consegui ir a voar a outro labratório comprar tudo o que precisava, explicar à senhora da recepção que APAA não quer dizer Associação Portuguesa dos Amigos dos Animais e o que significa "anilhar". Por isso, sr. Murphy, para a próxima fique quieto.
Ainda tenho trabalho à minha espera às 21h e ir buscar os sobrinhos do pato Donald à margem Sul. E a noite promete ser longa.
Este dia nunca mais acaba. Prometo que aprendi a lição. Para a próxima faço tudo a tempo.
Pois...

2 comentários:

João Carvalho disse...

E eu a pensar que o «Pânico De Última Hora» tinha a ver com um chorrilho de SMS no inicio da noite sobre as propriedades milagrosas dos pares extras de meias grossas... Lololol

Fuzhong! disse...

Nada disso... mas safei-me cá com uma pinta de ganhar 23 fracturas novas!