terça-feira, abril 24, 2007

Os primeiros passos na biologia molecular

Ontem, finalmente, comecei a fazer extracções de DNA lá no instituto. Afinal a técnica de extracção não é assim tão elaborada e mais ou menos até se consegue fazer com alguns produtos comuns de uso doméstico... À parte de todas as ramificações filosóficas e metafísicas de ter vários frasquinhos com alguns microlitros de ácido desoxirribonucleico (sim, de vez em quando até penso no que faço), obviamente pensei no enorme potencial que estas técnicas poderiam ter e como podia fazer ciência muito mais fixe:
  1. Criar clones de mim mesmo, de maneira a conseguir ir a todos os concertos, festas e afins. Por outro lado, programas mais seca seriam repartidos por vários clones, assim como eventuais ressacas e dores de cabeça;
  2. Criar clones de top models e afins pelas razões óbvias;
  3. Recriar espécies animais extintas um pouco ao estilo Jurassic Park;
  4. Activar ou criar genes para ganhar super-poderes.

Mais alguma sugestão?

4 comentários:

Fred disse...

Nããããããoooooo...

Às vezes um já é demais...

Fuzhong! disse...

Se eu te clonasse umas top models boazonas deixavas-me criar uma dúzia de clones de mim mesmo?

Anónimo disse...

Criar um clone pra ir trabalhar!!! Pffff.... não é óbvio? Não sei como é q esta n apareceu logo na lista...

:**

Tânia

Fuzhong! disse...

Coitado do clone!...