sábado, março 08, 2008

Friday Night Fever

Numa sexta à noite onde é que me encontrariam? Qual bar, qual discoteca, qual quê! O que está a bombar é o Samouco... Animação, música fornecida ora pelo rádio, ora pela gritaria infernal dos mini-super-gravadores e inclusivé, até uns comes e bebes, que isto de andar a trabalhar no campo, especialmente depois de um dia de trabalho, cansa e dá fome e sede.

Uau! Uma raridade! Um Tringa totanus parcialmente leucístico.

Houve duas desistências, uma porque estava cansadinha e tal e o outro, porque estava cansadinho e o camandro. Perderam a oportunidade de me ver em grande forma, não a cair nas salinas, mas a tratar de uma meia dúzia de Limosa limosa, a aplicar os meus conhecimentos de ilustração científica para lhes desenhar as asinhas e a fazer horas extraordinárias porque os bichos teimavam em querer ir ao médico com entorses nas patas e nos patágios.

Um belo Tringa nebularia a posar para a máquina.

Como sempre, encontrar pessoal conhecido - caro Hugo, ando a encontrar amigos teus por todo o lado, mas que praga que vocês são - e baixar os braços por volta das 4 da matina porque o sono já me toldava o juízo e os bichos começaram a parecer-me todos iguais. A viagem de volta a casa foi mais ou menos como atestam as fotos:


O caminho de volta a casa foi longo...

... Lisboa, ao fundo, parecia uma miragem...

... e o rádio sempre a debitar música...

Eu juro que era tudo sono, não andei a tomar ácidos nem nada!

2 comentários:

Pedro disse...

Devias era ter ficado até ao final, para a fase da loucura debilitante. A coisa foi de tal ordem que o Michael pagou o pequeno almoço ao pessoal todo, vê só o que perdeste!!

Fuzhong! disse...

Nada pagava aquelas horas de sono. Se tivesse ficado acordado até ao pequeno almoço ia ficar com danos cerebrais irreparáveis.